Pular para o conteúdo

Instituto de Hemodiálise de Uberaba

Clínicas de Hemodiálise em Uberaba

Praça Comendador Quintino, 258
Uberaba - MG

Veja mapa e telefone

Instituto Hemodiálise e Transplante Renal de Uberaba

Clínicas de Hemodiálise em Uberaba

Rua Sete de Setembro, 6
Uberaba - MG

Veja mapa e telefone

Hemodiálise

Clínicas de Hemodiálise em Uberaba

Rua Sete de Setembro, 21
Uberaba - MG

Veja mapa e telefone

Instituto de Hemodiálise e Transplante Renal de Uberaba

Clínicas de Hemodiálise em Uberaba

Rua Constituição, 788 s309
Uberaba - MG

Veja mapa e telefone



Mais sobre Uberaba



Para entender melhor o que são clínicas de hemodiálise é necessário fazer uma breve explicação do que é hemodiálise, quando deve ser feita, como os pacientes adquirem essa necessidade e como reagem mediante a esta situação.

Os rins têm funções essenciais para sobrevivência humana, como excretar substâncias tóxicas, manter o equilíbrio de eletrólitos no corpo e eliminar o excesso de água, porém, sua principal e indispensável função é a excreção de substancias tóxicas do sangue.

Quando há uma insuficiência renal grave e esse órgão não consegue desempenhar sua função perfeitamente, o paciente deve ser submetido a um procedimento mecânico, que é feito através de uma máquina que substitui os rins. Com este rim artificial, o sangue tem acesso vascular e é impulsionado até uma bomba, presente na parte interna da máquina.

A hemodiálise pode ser realizada em clínicas específicas ou em hospitais de tratamentos

A hemodiálise pode ser realizada em clínicas específicas ou em hospitais de tratamentos

Com isso, este sangue é levado a um filtro denominado de dialisador. Lá, o sangue é filtrado através de uma membrana semipermeável, que retira os líquidos e toxinas presentes no sangue em seu estado “inicial”.

O lugar aonde é feito todo esse procedimento é denominado clínica de hemodiálise e, infelizmente, não tem a capacidade de atendimento como deveria, porém, a tendência é aumentar os leitos e, consequentemente conseguir atender um número maior de pessoas.

A máquina de hemodiálise foi inventada por um professor chamado Willem Johan Kolf, em 1941. A partir desta data, a insuficiência renal passou a ser uma doença com oportunidades e não mais fatal.

Nos dias atuais, as pessoas encaram a hemodiálise de forma negativa, pois são necessárias de duas a cinco seções semanais, que chegam a durar até 5 horas. A demora e o cansaço, muitas vezes, faz com que os pacientes sofram e, alguns, acabem desistindo da vida.

Contudo, sabemos que a tecnologia está se desenvolvendo rapidamente. E com a tecnologia a medicina também tem avançado significadamente. Novos aparelhos, remédios e procedimentos serão incorporados em breve.

Vale salientar, que existem, também, outros procedimentos, nos casos que envolvem a hemodiálise. Os pacientes têm direito a cirurgia de transplante de órgãos. Se o paciente tiver pessoas próximas que queiram doar um rim em vida, é possível. Porém, nos dois casos, é preciso haver compatibilidade. Isso é permitido, pois existem comprovações científicas, que um ser humano pode sobreviver, sem risco algum, com apenas um rim.

Outra possibilidade seria entrar numa fila de transplante renal. Neste último caso, a família de alguém que faleceu, permite a retirada e doação dos órgãos do falecido. Desde que seja compatível, esta tem sido a esperança de muitas pessoas.